NOTÍCIAS

11/04/2018
Começa o MBI em Indústria Avançada: Confecção 4.0 do SENAI CETIQT

No último final de semana, 06 e 07 de abril, o SENAI CETIQT deu início ao curso MBI em Indústria Avançada para 45 empresários e executivos da cadeia têxtil e de confecção de várias regiões do Brasil. Estratégias de reposicionamento da indústria, ferramentas de inovação, formas de financiamento e confecção 4.0 foram alguns dos temas tratados no primeiro encontro dos seis presenciais previstos no curso, que tem parte do ensino a distância.

O objetivo do MBI é a criação de um plano de indústria avançada aplicado a situações reais das empresas representadas, entre elas Malwee, Coteminas, Guararapes, DeMillus, Cedro e Cataguases. Outro ponto chave do curso é a interação entre os participantes, que têm alto poder de influência e decisão em suas empresas, para o debate e a aplicação de soluções para a indústria brasileira.

O início dos encontros de imersão, que acontecem no hotel Windsor na Barra da Tijuca, foi marcado pela presença de vários convidados especiais, entre eles o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT) parceira do SENAI CETIQT na oferta do MBI. “Uma das competências do SENAI CETIQT é desenvolver cursos pioneiros como este e a da ABIT é mobilizar todos em busca de um propósito: o crescimento”, declarou Fernando Pimentel. Em seguida, Claudio Leal, superintendente do BNDES, apresentou as formas de financiamento do Banco para projetos de inovação. Andrea Bentes Leal, representante da FINEP – Empresa Brasileira de Inovação e Pesquisa também foi uma das convidadas da cerimônia de abertura.

Na sala de aula, que estava organizada em mesas redondas de acordo com a metodologia ativa do curso, Angela Hirata, presidente da Japan House, apresentou inovações nacionais e japonesas através de cases do mercado para o reposicionamento da indústria por meio da criatividade e da análise correta dos ambientes.

Já no segundo dia, todos os participantes foram levados à Planta de Confecção 4.0 do SENAI CETIQT, localizada na unidade Riachuelo. A planta é a primeira do país voltada para o setor de Confecção e todas as fases, da implementação à produção, foram discutidas com o grupo.

Durante a tarde, Celson Pantoja Lima, professor adjunto na Universidade Federal do Oeste do Pará e pesquisador do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (EUA), agitou a turma com vários métodos e ferramentas para se pensar inovação.

Além de todos os detalhes pensados para encantar os participantes, como os óculos de realidade aumentada, a mochila, o moleskine, a caneta e o cartão pen-drive, os executivos foram surpreendidos com a visita do Bernardinho, técnico da seleção brasileira feminina de vôlei.

“O setor de Confecção não pode descansar. Não importa se ganhamos uma medalha de ouro na coleção passada, a cada nova estação, o esforço começa do zero. Não tem como encurtar caminho: é repensar estratégia, inovar e vencer uma etapa de cada vez. Ninguém deve olhar para o ouro passado. Temos que mirar no futuro”, incentivou Bernardinho.

 

 
Saiba mais sobre o 1º Encontro: https://goo.gl/iFkZGF